Publicado em Deixe um comentário

Como escolher a melhor torneira – o que considerar

Compartilhar

Torneira sensor

No momento da escolha da torneira que melhor se adequa ao nosso ambiente, seja o banheiro, a cozinha ou a área de serviço, temos vários requisitos a considerar. A estética, os tipos de torneira, os acabamentos do ambiente, a cuba escolhida, o tamanho da bancada e a funcionalidade são elementos que precisam ser analisados e vistos em conjunto na decisão da melhor escolha. Então, nesse artigo, vamos abordar todos esses aspectos e ao final dele você poderá se sentir mais confiante no momento da sua compra.

Atualmente, existem três tipos de torneiras quando nos referimos ao local de sua instalação: mesa ou bancada, parede e piso.

As torneiras de mesa são aquelas que são instaladas sobre a cuba ou na bancada. As de parede, o próprio nome já indica a localização de sua instalação e, ainda, temos as de piso.

Quando falamos sobre os tipos de torneiras ainda precisamos considerar as diferenças de funcionamento entre elas: torneiras, misturadores e monocomando. Para entender melhor sobre esse aspecto, temos o artigo que deu início a essa série: “Como escolher a torneira certa para seu ambiente”.  

Outro aspecto a considerar no ambiente são as condições físicas da instalação, que envolvem os pontos de saída de água e o tamanho da sua bancada. Se já existe um ponto de água localizado na parede e sua bancada é pequena, a melhor indicação de torneira são as de parede. No entanto, se não falta espaço, existe uma variedade de opções para as torneiras de mesa. Assim, tomada essa decisão sobre o tipo de instalação podemos, então, considerar a escolha da cuba.

A proporção entre a torneira e a cuba escolhida para o seu ambiente afeta diretamente a estética. Para uma harmonização mais agradável: cubas menores, torneiras menores. Outro aspecto, nesse caso, é a funcionalidade que veremos a seguir.

As proporções entre torneira e cuba envolvem também a distância entre elas. Logo, não é apenas a estética que determina o tamanho da torneira, mas a altura da queda d’água e o seu posicionamento também afetam diretamente a funcionalidade. Uma dica é que o jato de água deve sempre estar alinhado ao ralo da cuba, caindo diretamente sobre ele. Esse posicionamento evita os respingos em você e na bancada.

Na cozinha, onde lavamos alimentos, louças e panelas, é necessária uma altura de queda maior do que no banheiro. Entre a bica e a cuba, ao menos 30 centímetros, independentemente de a torneira ser fixada na parede ou na bancada.

Já nos banheiros, onde lavar as mãos é a tarefa mais comum, essa altura recomendada é menor. Manter 15 centímetros de distância entre a saída da água e o fundo da cuba é a altura ideal. Menor do que isso, poderá haver um desconforto no ato de lavar as mãos, além de derramar água por toda a bancada.

As distâncias, acima citadas, valem tanto para as torneiras de mesa como para aquelas que são fixadas na parede.

E, como o projeto do seu ambiente precisa ser bonito e agradável, considerar a estética é determinante: formas e cores. Escolher a torneira de acordo com o formato predominante dos acabamentos, ducha e acessórios ou vice-versa, mantém uma harmonia entre eles. Por exemplo: se sua ducha tem bordas retas, dê preferência aos acabamentos de registros e torneiras com o mesmo tipo de borda. Se sua torneira tem a cor black matte – preto fosco -, escolha o mesmo tom para todos os outros metais.

Compartilhar

Deixe uma resposta